ff

 

Pesquisa personalizada
 
Cidade
 

Localizada na região da encosta inferior do nordeste do Rio Grande do Sul, faz parte da Grande Porto Alegre, estando a 31,4 km da capital gaúcha. A cidade é cortada pelas rodovias BR 116 e RS 240.

Microrregião: Porto Alegre
Mesorregião: Região Metropolitana de Porto Alegre.
Latitude: -29,76028
Longitude: -51,14722
Altitude: 26 metros acima do nível do mar
Clima: Subtropical.

Caracterização

Origem: 25 de julho de 1824 - Chegada dos primeiros imigrantes alemães. Tornou-se vila em 1º de abril de 1846, através de lei municipal n° 04/1846.

Ano de instalação do município: 1864

Divisão territorial

Área total: 102,31 km² (representa 1,04% da área da Região Metropolitana de Porto Alegre)
Área urbana: 69,87 km² (68,29%)
A área urbana é dividida em 24 bairros
Área rural: 14,84 km² (14,50%)
Área de preservação: 17,60 km² (17,20%)

Taxa de Urbanização

São Leopoldo conta com uma população de 209.611 habitantes e uma taxa de urbanização de 99,7% contra 0,30% na área rural.  Destaca-se como o quarto município da Região Metropolitana de Porto Alegre que recebe mais pessoas de outro município para trabalhar ou estudar, sendo que 24% vêm de Sapucaia do Sul. Por outro lado, São Leopoldo é o oitavo município desta região do qual saem mais pessoas para outro município para trabalhar ou estudar. Vão para Novo Hamburgo 51% destas pessoas.

Dados socioeconômicos

População Total: 209.611 habitantes (IBGE – estimativa de 1/7/2005)

Taxa de crescimento: 1,72%

Densidade Populacional: 2.048,78 hab/km²

Taxa de analfabetismo (2000): 4,78 %

Expectativa de vida ao nascer (2000): 69 anos

Coeficiente de mortalidade infantil (2004): 10,16 por mil nascidos vivos

PIB (2002): R$ 1.492.420.862

PIB per cápita (2002): R$ 7.429

Exportações totais (2004): U$ FOB 154.822.611

ICMS (2004): R$ 88.218.296

Eleitores: 138.563

Comparecimento nas últimas eleições: 123.126 votantes (88,86%)

Histórico

Foi povoada inicialmente por açorianos, já era um vilarejo quando em 18 de Julho de 1824 a primeira leva oficial de imigrantes alemães chegou ao Brasil, enviada por Dom Pedro I com a intenção de povoar a região. Foram enviados para a desativada Real Feitoria do Linho Cânhamo, um estabelecimento agrícola do governo (onde eram produzidas cordas), que não dera muitos resultados, tendo falido, entre outros motivos, devido à corrupção dos administradores. Essa Feitoria localizava-se à margem esquerda do Rio dos Sinos. Em 25 de Julho de 1824, esses imigrantes chegaram a seu destino, em número de 39. Essa é a data de fundação de São Leopoldo. Instalados na Feitoria até que recebessem seus lotes coloniais, este núcleo foi batizado "Colônia Alemã de São Leopoldo" em homenagem à Imperatriz Leopoldina, a esposa austríaca de Dom Pedro I. Nesta época era então governador do estado o Visconde de São Leopoldo

Durante a Revolução Farroupilha a colônia ficou dividida entre os imperialistas liderados por Daniel Hillebrand e os revolucionários liderados por Hermann von Salisch. Nesta época a colônia prestou suporte à Porto Alegre sitiada provendo a cidade com suprimentos transportados em barcas pelo Rio dos Sinos.

A colônia se estendia por mais de mil quilômetros quadrados, indo em direção sul-norte de Esteio (hoje) até o Campo dos Bugres (Caxias do Sul, hoje). Em direção leste-oeste de Taquara (hoje) até o Porto dos Guimarães, no Rio Caí (São Sebastião do Caí, hoje). Aos poucos novas levas de imigrantes ocuparam os vales do Rio dos Sinos, Cadeia e Caí, lançando o progresso através da dedicação extraordinária ao trabalho, o que ensejou que a colonia alemã se emancipasse de Porto Alegre já em 1º de Abril de 1846, apenas 22 anos depois de fundada. Concorreu para este fato serem os alemães, além de Landmänner (agricultores), também Handwerker (artesãos). Daí uma variada produção que acabou sendo o embrião industrial do Vale do Rio dos Sinos. É em homenagem a esses imigrantes que o dia 25 de Julho é feriado Municipal, quando São Leopoldo busca resgatar a memória e a variada contribuição deles ao nosso Estado.

Em 1865 a colônia recebeu a visita de Dom Pedro II.


Localização

A cidade de São Leopoldo situa-se na região da Encosta Inferior do Nordeste do Rio Grande do Sul. Faz parte da Grande Porto Alegre, situando-se a 34 km da capital gaúcha, através da rodovia BR-116 e a 80 km da cidade de Caxias do Sul através da RS-240.

Curiosidade

O gentílico oficial para os moradores de São Leopoldo é "leopoldense", mas há uma forma carinhosa de se referir aos moradores da cidade: "capilé". O termo originalmente era usado de forma pejorativa por moradores da cidade vizinha de Novo Hamburgo, ainda na época anterior à emancipação (Novo Hamburgo e São Leopoldo mantêm uma rivalidade histórica que data da época em que as duas áreas urbanas pertenciam a um só município, com sede em São Leopoldo). O termo "capilé" servia para designar um xarope ou refresco e São Leopoldo sediava uma das primeiras fábricas gaúchas deste refrigerante, motivando a associação com o nome. Hoje os leopoldenses abraçaram a palavra "capilé" e a rivalidade com Novo Hamburgo é apenas folclórica.

Cultura

Atualmente, São Leopoldo é considerada uma cidade universitária, por sediar a Unisinos e é conhecida principalmente pela sua noite, que conta com duas casas noturnas que atraem público tanto da própria cidade quanto das cidades vizinhas, como Estância Velha, Novo Hamburgo, Portão e Sapucaia do Sul, assim como de Porto Alegre, por sua notoriedade. Dentro deste contexto, merecem destaque especial a Rua Independência ou Rua Grande, onde se concentram estas atividades.

Economia

São Leopoldo possui um diversificado parque industrial globalizado, além de expressivo setor comercial e de serviços. Situa-se também na cidade o maior pólo de informática do estado do Rio Grande do Sul, vinculado à Universidade do Vale do Rio do Sinos - UNISINOS.

Clima

O clima é subtropical úmido, com verões quentes e invernos frios e chuvosos (tipo *Cfa* segundo Köppen). A temperatura média em janeiro é 24,5°C e em julho 14,3°C, com as temperaturas recordes de 40,7° em 1943 e em -4,0° em 1918. A média anual é de 19,4° aproximadamente, e a neve é relativamente rara, tendo sido observada no século XIX em 1879 e no século XX em 1910, 1984, 2000 e 2006. Não é incomum a presença de "veranicos" que fazem a temperatura subir para quase 30 graus por alguns dias em pleno inverno. A média anual de chuva é de 1324 mm.


Atrativos turísticos

Barco Martin Pescador
Rua da Praia, 50 - Rio dos Sinos
Telefone: (51) 3590.6472
O barco foi construído para ser uma sala de aula flutuante. Através de um passeio no Rio dos Sinos se conhece a incrível jornada vivida pelos imigrantes alemães que chegaram à cidade navegando pelo rio. Também é oferecida atividade de educação ambiental, com o objetivo de ensinar formas de preservar o meio ambiente.

Casa do Imigrante
Av. Feitoria, 3249 - Feitoria
Telefone: (51) 3592.4557
Esta casa, símbolo da imigração alemã, abrigou os primeiros imigrantes em 1824. Nesta data foi realizado o primeiro culto evangélico do Estado. Construída em estilo "enxaimel”, em outubro de 1788, nela funcionava a Feitoria do Linho Cânhamo, estabelecimento agrícola estatal criado para a plantação deste vegetal para fabricação de cordas para os navios à vela.
Seus cômodos possuem exposições temáticas de móveis, utensílios e vestuário utilizados pelos imigrantes germânicos ao chegarem ao RS. Tem cozinha colonial, quarto do alfaiate, quarto de dormir, oficina do fotógrafo, venda típica da colônia e outros quartos e salas antigas. No pátio existe uma atafona e ao lado uma coleção de pedras tumulares antigas. O prédio foi tombado pelo patrimônio histórico em março de 1992.

Casa Matriz de Diaconisas
Av. Dr. Wilhem Rothermund, 395 - Morro do Espelho
Telefone: (51) 3588.3011
A casa onde vivem as diaconisas está situada em uma linda área verde no Morro do Espelho. Junto a ela, encontra-se o Lar Moriá, um asilo onde as pessoas idosas podem viver em paz com a natureza. O local ainda conta com hospedagem e espaço para eventos. Visitas devem ser agendadas pelo telefone.

Casario
Passeando pela cidade, podem-se encontrar belas casas e prédios antigos construídos pelos imigrantes.

Câmara de Vereadores

Colégio São José, Lar Santa Elisabeth e Monte Alverne
Avenida Mauá, 980 - Morro do Espelho
Telefone: (51) 3592.1575
Neste complexo que compreende estas três instituições, cada qual com uma finalidade distinta, podemos conhecer capelas, grutas, imagens de santos espalhadas, Via Sacra pintada em azulejos, museus, natureza, o caminho que faz a ligação interna entre o Colégio São José e o Monte Alverne, que é um corredor cercado pelo verde das árvores.

Colégio Sinodal
Avenida Doutor Mário Sperb, 874 - Morro do Espelho
Telefone: (51) 3592.1584.
Fundado em 19/5/1936 por ocasião do cinqüentenário do Sínodo Rio-Grandense (Igreja de Confissão Luterana), está localizado no Morro do Espelho em uma área verde lindíssima. Lá pode-se visitar o Museu do Sinodal. O prédio do antigo externato foi erguido em 1937 e o antigo internato em 1947. Visitas devem ser agendadas pelo telefone.

Escola Superior de Teologia (EST)
Amadeu Rossi, 467 - Morro do Espelho
Telefone: (51) 2111.1400
Referência no país e no exterior, o mais antigo centro de formação teológica da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB) forma teólogos desde 1970. Possui a maior biblioteca na área teológica evangélica da América Latina, com acervo de 70 mil volumes. Visitas devem ser agendadas pelo telefone.

Igreja Nossa Senhora da Conceição
Praça Tiradentes, 68 - Centro
A história da Igreja Matriz iniciou há 172 anos com a capelinha Nossa Senhora da Conceição, erguida de pau a pique pelos imigrantes alemães e demolida por volta de 1845. No local foi erguida a nova igreja, inaugurada em 1859, que maio de 1865 deu lugar ao prédio existente hoje.

Monumento ao Centenário da Imigração Alemã
Av. Dom João Becker
Telefone: (51) 3590.3333
Localizado na praça do Imigrante, à margem do Rio dos Sinos, o Monumento do Imigrante foi construído em 1924, em comemoração ao centenário da imigração. A praça é mais antiga do município.

Monumento ao Sesquicentenário da Imigração Alemã
Praça 20 de Setembro
Foi inaugurado no encerramento das comemorações aos 150 anos da imigração

Monumento em Homenagem aos 175 anos da Imigração Alemã
Margem direita do Rio dos Sinos
Inaugurado em 25/7/1999, tem sete metros de altura. Idealizado por Henrique Prieto e Marcelo Zeni.

Monumento 500 Anos
Rótula de acesso à cidade
Localizado junto à BR-116, foi inaugurado em 2000. Tem altura de 12 metros. A idealização é de Marcelo Zeni.

Museu do Trem
Rua Lindolfo Collor, 61 - Centro
Telefone: (51) 3591.8853
Antiga estação ferroviária de São Leopoldo e primeira estação construída no Rio Grande do Sul. O Centro de Preservação da História da ferrovia no Estado foi fundado em 9 de março de 1985. Retrata a história da época em que a Maria Fumaça encantava a população.

Museu Histórico Visconde de São Leopoldo
Av. Dom João Becker, 491 - Centro
Telefone: (51) 3592-4557.
Fundado em 1959, possui acervo histórico com mais de mil peças e biblioteca com oito mil volumes sobre história, geografia, artes, folclore e tradição do Rio Grande do Sul e imigração alemã. O prédio próprio foi construído em 1985 com ajuda da população, prefeitura e Governo da República Federal da Alemanha. Acervo: repositório da Imigração Alemã no Estado: 140 mil documentos, 210 negativos fotográficos, 13 mil fotos antigas, 512 mapas, 38 mil jornais, 9 mil livros, 1377 certidões, 323 escrituras, 1976 revistas, postais, partituras musicais, fotos e discos de antigas famílias da região e interior, expostos à visitação pública de estudiosos, pesquisadores e turistas.
Visitação: de segunda a sábado, das 14h às 17h30
Pesquisas: marcar horário pelos telefones (51) 3592.4557 ou (51) 3592.3984
Mais informações: www.museuhistoricosl.com.br

Ponte 25 de Julho
Ponte de ferro sobre o Rio dos Sinos, junto à rodoviária.

Praça Centenário (Praça do Imigrante)
Av. Dom Becker – Centro
Nome dado em homenagem aos 100 anos de imigração, festejados em 1924, quando se ergueu o monumento encontrado no centro da praça, que hoje caracteriza a cidade. Também é conhecida como a Praça do Imigrante. Foi durante muitos anos a maior e mais bonita praça leopoldense.

Praça 20 de setembro
Nela se encontra o Monumento ao Sesquicentenário da Imigração Alemã. Possui um anfiteatro, canchas, e é onde está localizada a Biblioteca Pública Municipal Olavo Bilac, com grande acervo literário.

Sociedade Orpheu
Rua Brasil, 506 - Centro
Fundada em 20/1/1858, é o clube social mais antigo do Brasil. Foi criado pelos imigrantes alemães que queriam difundir o canto orfeônico. Muitos foram os eventos realizados nas suas dependências, por onde já desfilaram presidentes da República, como Ernesto Geisel.

Santuário Sagrado Coração de Jesus - Padre Reus
Rua Leonel Françal, 134 - Padre Réus
Telefone: (51) 3592.1574
Local onde está o túmulo do padre João Batista Reus. Construído entre os anos de 1958 e 1968, recebe visitas de romeiros e devotos. O culto popular ao padre e a fé depositada em sua imagem surgiram há meio século. Muitos vêm orar e agradecer por graças concedidas pelo sacerdote que morreu com fama de santidade.
Para atender à visitação, estimada em 1500 pessoas a cada fim de semana, possui infra-estrutura com restaurantes, estacionamento e área verde. O santuário tem um órgão de bambu, único no país.

Túmulo de João Hillebrand
Cemitério Municipal, junto ao portão principal.
Primeiro médico da Colônia Alemã de São Leopoldo, aonde chegou em 6/11/1824, vivendo 26 anos no município e realizando notável trabalho de administrador e homem público.

Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos)
Av. Unisinos, 950 - Cristo Rei
Uma das maiores universidades particulares do Brasil, possui cerca de 28 mil alunos. Com 35 anos de existência, é mantida pela Sociedade Antonio Vieira, da Companhia de Jesus. Foi a primeira universidade latino-americana a receber a ISO 14001, concedida a organizações comprometidas com o meio ambiente.

 

 


www.ufo.tv.br

Conheça a cidade de Atlanta, Georgia, nos Estados Unidos

 
Prefeitura Municipal
Mapas
Wikipédia
   


 

WM INTERNET